Blogger news

Trabalho infantil no Brasil - Um grande e triste problema.

trabalho infantil no brasil

O trabalho infantil é um grande problema mundial e no Brasil ocorre em todas as regiões, de pequenas cidades no campo aos grandes centros urbanos, mas principalmente nas regiões Norte e nordeste.

Segundo pesquisas realizadas pela Organização Internacional do Trabalho (OIT), Estima-se que em todo o mundo há 168 milhões de crianças no trabalho. Desses, 80 milhões são vítimas de trabalhos perigosos e forçados.

Uma reportagem da TV Cultura mostra que Muitas crianças são vendidas pelos pais e levadas a fazer trabalhos pesados e perigosos. Muitas acabam mutiladas por fazerem trabalhos para os quais ainda não estão física e psicologicamente preparadas. Veja o vídeo abaixo:



O trabalho infantil destroi a infância impedindo o desenvolvimento natural da criança. A época da vida entre que se deve brincar e aprender e roubada.

Esta situação cria um círculo vicioso em que a criança que trabalha, não se prepara para o trabalho na vida adulta e viverá sempre de subempregos, gerará filhos que viverão em uma situação semelhante e não terão, na terceira idade nenhuma segurança financeira, já que não contribuiram para a previdência social.

Vimos também, no vídeo acima, que mesmo trabalhos glamourosos e feitos por vontade da criança como dos de atores e jogadores de futebol podem contribuir para um mal estar físico e psicológico, sendo necessária cautela e acompanhamento adequado.

Uma forma de inibir o trabalho infantil nas grandes cidades é  não consumir produtos e serviços oferecidos por crianças, pois, não havendo demanda, a quantidade de crianças ofertando irá diminuir. E também denunciar toda forma de trabalho infantil  e que o Brasil precisa melhorar o sistema de integração das forças de combate ao trabalho infantil.

Muitas pessoas não vêem o trabalho infantil como um problema é sim como um forma de educar e livrar as crianças da vida marginal nas ruas.
Se faz necessário a criação de mais projetos de conscientização, fiscalização, acompanhamento das famílias rurais e de baixa renda além de inclusão dessas crianças na vida escolar e social


Leia Mais ►

Satisfação no trabalho. É possível?

satisfação no trabalho


Um momento muito importante na vida é aquele no qual se escolhe uma profissão. Provavelmente a opção escolhida aos 18 anos, antes de ingressar em uma faculdade, fará parte da rotina do dia a dia por longos anos. Portanto, vale a pena parar, refletir, pesquisar e tentar escolher algo com que realmente se identifique, para que seja o trabalho, não só uma fonte de renda, mas também de realização pessoal, trazendo felicidade ao invés de tédio ou estresse.

É provável que para algumas pessoas, por mais que se tenha escolhido uma atividade da qual goste, com o passar dos anos a mesma se mostre ineficiente para sua satisfação pessoal, sendo nesse casso, preciso coragem e disposição para se reposicionar e recomeçar em uma área na qual se tenha prazer em trabalhar.

Muitos não podem ou preferem não passar por esse processo que pode ser penoso e com prejuízos financeiros, já que mudar de profissão pode implicar em queda de salário. Sendo assim, o caminho daí em diante será de descontentamento com o trabalho, o que pode trazer danos para a saúde a ineficiência nas atividades realizadas.

estresse no trabalho

Gostar do trabalho é fundamental para realiza-lo de maneira eficiente. Não gostar, não tira a capacidade de realiza-lo, mas torna-o um fardo pesado, deixa a rotina cansativa e estressante e as consequências provavelmente serão sentidas no corpo, na mente e nos resultados obtidos.

Por outro lado, para a grande maioria das pessoas, não existe nem mesmos a oportunidade de escolher uma profissão no início da vida profissional. Muitos aceitam o primeiro trabalho que lhes é ofertado, por uma necessidade extrema de sobrevivência, assumindo atividades pesadas e desgastantes para seu corpo e mente e sem muita possibilidades de crescimento ou mudança.

Infelizmente em um pais tão grande em população e desigualdades, essa é uma situação recorrente e muitas vezes não existe um interesse, por parte dos empregadores em facilitar a capacitação e adaptação do trabalhador ao ambiente de trabalho e vão simplesmente trocando seus funcionários à medida em que não lhes são mais úteis.

Cabe às organizações, investir em treinamentos, capacitação e adaptação do empregado à suas atividades, colocando-o de acordo com seus talentos e habilidades e tornar o ambiente de trabalho o mais amistoso possível. Ao trabalhador, dedicar-se as suas atividades, aproveitando todas as oportunidades que lhes são ofertadas de forma a crescer e colaborar para o crescimento da empresa, podendo assim, gradativamente, alcançando posições em atividades que lhes são satisfatórias.

Satisfação no trabalho


Leia Mais ►

22/03 - Dia Mundial da Água

Refletindo sobre a água, a vida, o homem...

Dia Mundial da Água

70% do nosso corpo é constituído por água.
2/3 da superfície do nosso planeta é água.
Um elemento abundante, essencial, mas ameaçado.
Cada vez mais vivemos momentos difíceis causados pela falta desse líquido tão importante sem o qual não podemos viver.
A população mundial cresceu e continua a crescer. Esse crescimento, ao mesmo tempo que torna necessário um uso de maior quantidade de água, também faz com que o homem extraia mais outros benefícios da natureza e retiram dela as matérias essenciais para que a água continue a ser abundante.
Difícil não?
Nem tanto.
Só é preciso, a meu ver, um pouco menos de ambição. o que leva o homem a derrubar matas inteiras e a emitir uma quantidade enorme de gases poluentes, não é suprir as necessidades do ser humano e sim uma desenfreada busca por dinheiro, sempre o dinheiro!!!
Na busca, por status, por estar no topo dos rankings do poder, o homem simplesmente ignora que está tirando da terra, muito mais do que ela tem pra oferecer.
Nem mesmo se importam em saber que tipo de mundo vão deixar para seus filhos, netos, bisnetos...
Será que ainda haverá água potável por lá?
Será que ainda haverão florestas? oxigênio?
Será que dia desses a ficha vai cair e vão pisar no freio, valorizar mais a vida e esse nosso lindo planeta que temos o privilegio viver do que um os dígitos de suas contas bancárias?

Terra Planeta água

Água que nasce na fonte serena do mundo
E que abre um profundo grotão
Água que faz inocente riacho
E deságua na corrente do ribeirão

Águas escuras dos rios
Que levam a fertilidade ao sertão
Águas que banham aldeias
E matam a sede da população

Águas que caem das pedras
No véu das cascatas, ronco de trovão
E depois dormem tranquilas
No leito dos lagos
No leito dos lagos

Água dos igarapés
Onde Iara, a mãe d'água
É misteriosa canção
Água que o sol evapora
Pro céu vai embora
Virar nuvens de algodão

Gotas de água da chuva
Alegre arco-íris sobre a plantação
Gotas de água da chuva
Tão tristes, são lágrimas na inundação

Águas que movem moinhos
São as mesmas águas que encharcam o chão
E sempre voltam humildes
Pro fundo da terra
Pro fundo da terra

Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água
Terra! Planeta Água

Guilherme Arantes
Leia Mais ►

Saudades da infância

Saudades da infância
Imagem Pixabay

Era uma simples e ampla casa de periferia. Na frente, um belo jardim com um pinheiro que sempre ganhava luzes coloridas no natal. Nos fundos um quintal enorme se estendia desde a porta da cozinha até a divisa do terreno. Nele muitas árvores frutíferas, uma cisterna antiga com sarilho e uma bela horta eram o cenário da nossa infância feliz em um em uma cidade que não parecia, na época, tão grande. Num tempo que parecia passar lentamente.

Havia naquele lugar, uma ar constante de tranquilidade, um clima interiorano, com poucas moradias e muito verde; muitas arvores e gramados onde as crianças passavam o dia a se divertir escorregando pelos barrancos em caixas de papelão, brincando de piqui esconde, tirolesa, queimada...
Não existiam ainda os brinquedos tecnológicos de hoje em dia. Cada garrafa, caixa ou meia velha, se transformava em  um super artefato de pura diversão.
As mães, entre um afazer e outro, monitoravam as brincadeiras cuidando para que ninguém se machucasse, ou botasse fogo na vizinhança. usando os velhos sarilhos, tiravam água das cisternas para os afazeres domésticos, para cozinhar e regar a horta no quintal.

Á noite debruçados sobre as cercas ou sentados nas varandas, mãe e filhos aguardavam ansiosos o retorno do pai ao lar, depois de mais um árduo dia de trabalho.

Embora não imagine minha vida hoje, longe da atual tecnologia, sinto saudades das coisas simples do tempo em que ela não era assim, tão presente em nosso dia a dia, tais como: As brincadeiras de rua, as horas em frente ao velho gravador esperando o momento de gravar em uma fita k7 as minhas canções favoritas, e as tardes passadas em meio aos livros, fazendo pesquisas escolares na biblioteca, que foram hoje substituídas por poucos minutos de busca no Google.


Leia Mais ►